#19. Nos arcos do Atalaia

Mais uma vez, estava eu na rodoviária de Salvador, a terceira passagem em duas semanas. Agora estava me despedindo da capital e do nosso querido estado baiano. Me lembro como se fosse hoje, a sensação era a mesma de estar indo embora de casa rumo a um destino incerto.

Sair da Bahia foi mais difícil do que imaginei que seria. Mas, bola pra frente, estrada que segue, temos que ser feliz em outros lugares também! Entrei em um ônibus rumo a mais um estado brasileiro desconhecido até então: Sergipe. A cidade escolhida foi outra capital brasileira: A tranquila e aconchegante Aracaju.

Não consigo me lembrar muito de como foi exatamente o caminho entre as duas cidades, só me recordo que estava chovendo muito. Com certeza essa foi uma das piores viagens que fiz na vida. Não pela estrada, pelo ônibus ou pelo destino…

Foi um conjunto de fatores: Tive um pesadelo bem pessoal na noite passada, junto com o sentimento triste de deixar a Bahia para trás e, para ajudar, não consegui comprar um assento na janela, viajar no corredor foi horrível, não conseguia ver nada da estrada! No meio do caminho somente desejei que aquela viagem acabasse logo!

Finalmente o longo caminho chegou ao fim, já eram 4 e meia da tarde de um sábado. Tinha chegado na rodoviária nova de Aracaju. Peguei minhas coisas, caminhei poucos metros e já estava no terminal de ônibus.

Read more